8 Valiosas dicas para um Engenheiro recém-formado


Tudo está indo muito bem, você se formou em uma boa universidade, se tornou um Engenheiro Civil e conquistou uma vaga de trainee ou jovem profissional em uma construtora ou empreiteira! Você está feliz e empolgado para iniciar logo!

Após alguns meses de treinamento no escritório central conhecendo como a empresa funciona, o seu negócio e a sua cultura, é chegada a hora de ir para a obra. Ufa! Você não aguentava mais esses treinamentos e parte burocrática, você quer mesmo é fazer obra porque você é o Engenheiro!

Vá com calma! Veja:


1 - Você não é o “sabe-tudo” da obra

Legal que você se ache muito competente e queira assumir rapidamente várias responsabilidades para subir na hierarquia porque você se formou em uma boa universidade, fez intercâmbio e fala inglês muito bem, sabe de AutoCad, MsProject e outros softwares, e faz parte do principal programa de profissionais da empresa.

Entretanto, você também tem várias limitações como a falta de vivência em obras, a falta de conhecimento de materiais, a inexperiência de gestão de pessoas, não tem muita segurança e “jogo de cintura” para se relacionar com fornecedores e a experiência de obra em geral, mesmo que você tenha feito um bom estágio.

De outro lado, na equipe de gestão da obra você tem um gerente com anos de experiência, engenheiros já rodados em obra, técnicos e encarregados com anos de dia-a-dia de obra, equipe administrativa, etc.

Entenda que você, sim, tem um potencial muito grande, mas que você precisa adquirir bagagem, “engrossar o couro” e está diante de uma ótima oportunidade para tal.


2 - Ouça, aprenda, ganhe experiência

Aproveite que você chegou à obra e na equipe tem pessoas com as mais variadas experiências profissionais. Ponha seus ouvidos e seus olhos para trabalharem pra você, ouça o que as pessoas falam, como se posicionam, veja como o engenheiro de produção distribui as equipes, como ele conduz as reuniões, veja como as etapas de obras são realmente executadas, os macetes de obra que a gente não aprende na teoria.

Aprenda sobre os materiais, suas características, como são aplicados, perceba como as máquinas e equipamentos são distribuídos nas frentes de serviço e suas funções. Observe a rotina do comprador da obra, veja como é a dinâmica do almoxarifado. Ou seja, sendo um bom ouvinte e um bom observador, você consegue aprender muito da obra e da equipa para já começar a tomar as suas decisões e se envolver mais com a obra.


3 - Crie seu perfil profissional

Como você está entrando agora no mercado de trabalho como um profissional recém-graduado, você ainda não tem o seu perfil profissional criado. Por isso você não sabe se comportar diante de várias situações que ocorrem com o Engenheiro ao longo do dia-a-dia de obra, seja relacionado a pessoas, a um fornecedor, em uma reunião com o cliente, em caso de um acidente de trabalho, em uma greve de pessoal. Assim, você tem muito a aprender com as pessoas que estão ao seu redor e, observe bem como se comportam os profissionais que estão acima de você na hierarquia.

Preste atenção como se comporta o Engenheiro responsável pela produção ao distribuir as atividades da obra, fique atento ao comportamento do Gerente de Produção nas reuniões, se você acompanhar o Engenheiro de Planejamento ou Gerente de Contrato em uma reunião com o cliente preste bastante atenção na maneira como eles se comportam e como tomam as decisões.

Uma dica muito valiosa é: Absorva os comportamentos que você gostaria de ter no seu perfil e não absorva os que você não gostaria de ter no seu perfil, mas não descarte esses comportamentos, deixe eles em uma parte separada no seu cérebro para que você não haja dessa maneira quando exposto a uma situação similar, porque conhece o resultado negativo que esse comportamento traz. Dessa forma você está criando o seu próprio perfil com as boas e más práticas dos outros profissionais.


4 - Tenha calma e sabedoria na tomada de decisões

Os jovens naturalmente são muito acelerados, acostumados com a velocidade da internet, querem respostas rápidas para tudo. Isso somado a uma pitada de motivação de “querer mostrar serviço” faz com que vocês jovens quererem que tudo aconteça no ritmo de vocês, no tempo de vocês, mas se esquecem que as atividades tem um tempo certo para acontecerem, que as pessoas trabalham em grupo e que nesse grupo há pessoas de idades diferentes e níveis de conhecimento diferentes, além de motivações e intenções.

Evite tomar decisões precipitadas na ânsia de resolver logo os problemas, evite rebater e-mails de forma errada de um fiscal, de um fornecedor, de um engenheiro do cliente ou de um colega de trabalho. Não se exponha sem necessidade.

5


5 - Obra tem hierarquia

Obra é um dos locais de trabalho onde a hierarquia ainda fala alto, principalmente no campo, na produção. Por isso, entenda a hierarquia da sua obra para que você não entre em assuntos que não são de sua responsabilidade. Não faça tarefas ou tome uma atitude para resolver um problema ou adiantar uma situação que não lhe foi delegada, por exemplo, não faça alinhamentos com o cliente ou a fiscalização sem o conhecimento do seu chefe imediato, tampouco responda e-mails que não são de sua responsabilidade ou que você foi apenas copiado para conhecimento.

Em campo, não passe atividades diretamente para um encarregado de frente de serviço sem o conhecimento do encarregado geral. Concentre-se no encarregado geral. Não se importe com os pronomes de tratamento que ainda são comuns nas obras para os engenheiros como senhor e doutor. Isso demonstra respeito da sua equipe por você e muitos profissionais têm a necessidade de demonstrar esse respeito pelos engenheiros da obra.

Conhecer essa dinâmica da obra é importante para você não se “queimar” com a equipe, provocar situações desconfortáveis ou, pior ainda, ser colocado em situações desconfortáveis.

Por exemplo: Você vai direto ao encarregado de acabamento e solicita que ele pare a frente de serviço dos banheiros para assentar cerâmica na cozinha industrial.No outro dia, na reunião com o gerente de produção e todos os encarregados, ao ser cobrado pelo gerente porque os banheiros não estão concluídos, o Enc. Geral diz que não sabe, porque quem está acompanhando essa frente de serviço agora é você que está tratando diretamente com o encarregado de acabamentos.

Viu que complicado? Parece simples, mas acontece demais, os recém-formados fazem muito isso e nem percebem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *